Postagens

Xirê Orixá

Clique no nome do Orixá de sua preferência para acessar o conteúdo:


Exú - Intermediário entre os homens e os orixás;
Ogun - O dono dos caminhos e dos metais e sem ele e suas invenções da faca e da enxada o sacrifício aos orixás e o trabalho na terra estariam impedidos; diz-se, também que é irmão de Exu;
Oxossí - Irmão de Ogun e porque está ligado à sobrevivência através da caça e da pesca;
Ossãe - Dono das folhas que curam, daí sua ligação a Obaluaê e também porque nada se faz sem folhas no candomblé;
Omolú -  O orixá da cura das doenças ou aquele que as traz;
Ewá - Omolú, Ewá, Oxumarê e Nanã (três irmãos e sua mãe);
Oxumarê - Por sua ligação com Xangô, como escravo deste e como aquele que faz a ligação entre o céu e a terra;
Nanã - A mais velha das iabás;
Oxum - Esposa favorita de Xangô;
Logun Edé - O filho de Oxum com Oxossi;
Oyá - No mito criou Logun-Edé quando Oxum o abandonou;
Obá - Tida em muitas casas como irmã de Iansã e terceira mulher de Xangô;
Xangô - Deus do trovão e do fogo, trazido …

Idioma Yorubá

O iorubá ou ioruba (Èdè Yorùbá, "idioma iorubá")  é um idioma da família linguísticanigero-congolesa, e é falado ao sul do Saara, na África, e no Brasil dentro de um contínuo cultural-linguístico, por 22 milhões a 30 milhões de falantes. A língua iorubá vem sido falada pelo povo iorubá há muitos séculos. Ao lado de outros idiomas, é falado na parte oeste da África, principalmente na Nigéria,Benim, Togo e Serra Leoa.
No continente americano, o iorubá é falado em ritos religiososafro-brasileiros (onde é chamado de nagô) e afro-cubanos (onde é conhecido também por lucumí). 
A acentuação é utilizada da seguinte forma: o A é pronunciado com som aberto (agudo); o E é pronunciado com som aberto (agudo); o E é pronunciado com som fechado (grave); oO é pronunciado com som aberto (agudo); o O é pronunciado com som fechado (grave); o U é pronunciado com som aberto (agudo); o acento agudo é pronunciado em tom alto; o acento grave é pronunciado em tom baixo; a ausência de acentuação é pron…

Surgimento dos Òrìşà

Imagem
No candomblé Ketu ou Nagô os Òrìşà são designados como divindades servidoras da humanidade. Assim como Olódùmarè criou o Òrun e o Àiyé e todos os habitantes da terra, igualmente criou as divindades e espíritos, afim de servir ao mundo.
     Segundo tradições, alguns seriam divindades primordiais pela convivência com o Ser Supremo nos primórdios dos acontecimentos. Outras são figuras históricas, reis, rainhas, fundadores de cidades que foram divinizados devido a atos relevantes ou ligações fantásticas com os elementos da natureza – a terra, o vento, a caça, rios, mares, ervas, minerais. São geralmente denominados Òrìşà, Irunmalè ou Imalè e Ębọra.
     Outras formas de espíritos são cultuadas por representarem a personificação de forças da natureza ligadas à terra – Onílè; às árvores – Iwin; às florestas - Àrọni; à ancestralidade familiar – Òkú òrun ou Ésà; à personificação dos mortos – Egúngún; ao poder gestador - Ìyámi; e aos poderes influenciadores da vida – Òrò e Elénìnì.
     Os…

Deus - O criador de todas as coisas

Imagem
A ninguém é dado um nome sem que haja razão para isso, e todos eles, invariavelmente, exprimem alguma história relacionada com acontecimentos, atributos, caráter e personalidade. Os nomes dados ao Ser Supremo estão relacionados a seguir: Ọlọrun
O mais comum, é composto do prefixo Ol (Oní indicando posse ou comando, dono) e Ọrun, céu, citamos algumas orações exclamatórias que revelam esse pensamento:
Bí Ọlọrun bà fé – Se Deus quiser.
A dúpę l’ọwọ Ọlọrun – Nós agradecemos a Deus.
Olódùmarè - O nome e composto de duas palavras e um prefixo, desta forma: OL – ODÚ – MARÈ. Ol é outra forma de Oní, prefixo indicativo de posse ou comando.
Odú – possui diversos significados. Pode ser Odú, poder, pode ser, ainda, a denominação dos signos de Ifá e identificado com o destino de cada ser humano.
Marè – algo imutável.
Uma outra interpretação da palavra Olodùmarè baseia-se na contração da frase Olódù omo èré ( Olódù, a descendência da Jiboia), baseada num mito que deriva do fenômeno natural do arco-iris. A …

Língua fon

Imagem
O fon (Fɔngbé) é uma língua nigero-congolesa que faz parte do grupo gbe e pertence à sub-família kwa. Falada na África Ocidental, sobretudo no Benim, é a língua majoritária e conta com aproximadamente 1,7 milhões de falantes - cerca da metade da população - mais concentrados no sul e no centro do país. Também é falada por outras 35 500 pessoas, distribuídas entre o centro e o sul do Togo, e o sudoeste da Nigéria.

Como outras línguas gbe, o fon é uma língua analítica, com ordem oracional básica Sujeito-Verbo-Objeto. Alguns de seus nomes alternativos são fo, fongbe, fonnu, fogbe, dahomeen, djedji (jeje).
O fon era a língua oficial do antigo reino do Daomé (Danxome). Atualmente, sendo a língua majoritária no Benim, é utilizada pelas emissoras de rádio e televisão, e também adotada nos programas de alfabetização de adultos.
O fon é a língua materna da cantora Angélique Kidjo, de origem beninense.
Provavelmente, no resto do mundo, a palavra mais conhecida em língua fon é vodun (em portugu…

Terreiro de candomblé

Imagem
Terreiro de candomblé é como são geralmente conhecidos os templos de candomblé, mas também são chamados de casas, roças, e dependendo da nação pode ser chamado de barracão ou pela tradução da palavra casa, ou seja:


Em yoruba terreiro é Egbe ou casa é Ilé normalmente escrevemos Ilê porque é assim que se pronuncia. Notem que os nomes das casas sempre começam por Ilê Axé que é o mesmo que Casa de Axé.

Em Fon casa é Kwe e em Angola casa é Inso ou Cazuá.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

As Divindades também falam

Imagem
Odú


Representam o corpo de relação conectado ao culto de uma divindade denominada Òrúnmìlà. Eles estão tidos como forma de resposta concedida pelo oráculo, com o Babáláwo constituindo, de modo sistemático, a filosofia religiosa do povo yorúbá. Cada Odú possui um nome e características próprias. Divide-se em “caminhos” denominados Ęsę onde está atado um semi-número de mitos conhecidos como Itàn Ifá.
Ilàna Ìsin
É o meio de comunicação dos praticantes com seus objetos de adoração. Constitui-se de símbolos e ritos agrupados num cerimonial e conduzidos pelos diferentes sacerdotes que compõem a hierarquia religiosa.
Ketu/Nagô – bàbálòrìşà / Ìyálòrìşà
Congo/Angola – tata hia nkise / mametu hia nkise
Jeje – donę / mejitọ / gaiyaku

Em todo processo litúrgico há sempre três elementos a serem destacados:
• Palavras, cânticos e rezas (adúrà) a serem preferidos;
• Atos e ações, até o oferecimento de sacrifícios e oferendas (rúbọ);
• Participação do agente realizador de todas as tarefas, distribuído en…